SPDA – Sistema de proteção contra descargas atmosféricas

Raios, temidos raios...

Conforme o Aurélio, Raio...  Significa descarga elétrica entre nuvens eletrizadas ou entre uma nuvem e a Terra, linha ou traço de luz.

Ao contrário do que todos pensam os raios não só caem, mas eles sobem, também.

O mais comum são os raios Descendentes, ou seja são descargas atmosféricas formadas em nuvens carregadas negativamente em sua parte inferior. Nesse momento forma-se uma descarga piloto em direção a Terra.

Esses raios, antes de atingirem o solo, são atingidos por raios conectantes, que são raios que saem dos para-raios que se localizam em cima de prédios. Esse choque se transforma num risco de luz no céu.

O para-raios lança uma descarga em direção ao raio, e assim protege diretamente as estruturas das casas, edifícios e consequentemente as pessoas contra as descargas elétricas, mas os aparelhos eletrônicos não são protegidos, pois a descarga elétrica que causa danos a esses equipamentos é produzida pelas redes de distribuição das concessionárias.

Quando esse fenômeno acontece o céu se ilumina e  apesar dos perigos, é uma cena ao mesmo tempo, assustadora e exuberante.

Os raios que sobem, são chamados de raios Ascendentes, produzidos, geralmente por estruturas metálicas, localizadas em lugares muito altos.

Raios matam pessoas, danificam equipamentos, causam acidentes. Por esse motivo eles precisam ser controlados. Para isso criou-se SPDA, que significa SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

Os sistemas mais comuns utilizados atualmente são os captores radioativos (fora de norma), captores verticais (franklin) e captores em malha (gaiola de faraday), ou uma combinação deles. Devido à natureza das descargas, no entanto, dificilmente a proteção poderá ser 100% segura.

Segue abaixo os sistemas:

``Captor Radioativo e Proibido: está sendo retirado do mercado por seu baixo desempenho em função de outros captores existentes, e proibido pelo   CNEN (Conselho Nacional de Energia Nuclear), apesar de ter sido utilizado por muito tempo. Outra razão para a proibição é o fato desse captor ser fabricado com material radioativo, que apesar de ter mais durabilidade que os demais, é um material perigoso. ``


-`` Captor Franklin - Esse captor protege um cone formado a partir de sua ponta, com um ângulo que varia conforme sua altura em relação à terra. Este ângulo varia de 45 a 25 graus, porém estruturas com mais de 20 metros de altura, necessitam de proteção lateral, pois o captor não á capaz de proteger as descargas atmosféricas laterais (inclinadas).``


-`` Captores em forma de malha (Gaiolas de Faraday) são os mais eficientes que o Franklin, pois formam uma malha de condutores em torno de toda a edificação, protegendo quase que totalmente seu interior. Desta forma o campo magnético no interior é nulo, não havendo a indução de tensões que poderiam afetar os seres e equipamentos. ``


ESTUDO DE RAIOS

NBR 5419-PARA  RAIOS

A NBR 5419, a norma brasileira, que regula o SPDA fixando a condições exigíveis do projeto, instalação, bem como o aspecto físico.

O SPDA não impede a ocorrência das descargas, mas reduz consideravelmente os riscos de acidentes.

A NBR 5419 relaciona 4 níveis de proteção:

I-Destinado a estruturas, as quais se houver falha do sistema de proteção, pode causar danos ao meio ambiente ou aos ambientes vizinhos, como: depósitos de explosivos.

II-Destinado a estruturas, as quais as falhas causariam destruição de bens insubstituíveis, como: museus e escolas.

III-Destinado a estruturas comuns, como: residências e escritórios.

IV-Destinado a estruturas de materiais não inflamável, como: estoque de produtos agrícolas.

Vamos falar dos métodos de captar os raios:

- Método Gaiola de Faraday: São condutores horizontais não suspensos formando uma malha sobre a estrutura. Quanto menor for a distância entre os condutores da malha melhor será a proteção obtida.

- Método Eletromagnético (EGM): considerado o melhor método de proteção, pois é baseado em estudos dos parâmetros do raios. 

  Nesse modelo considera-se que o líder descendente caminha na direção vertical em direção à terra e será desviado da trajetória por um objeto aterrado.

 - Método Franklin: nesse método são usados captores colocados verticalmente e altos, para se aproveitar os efeitos das pontas, aí a proteção será maior.


Boinga - Integridade Estrutural Comercio e Serviços Ltda
Facebook
LinkedIn